Vivendo com Transtorno Bipolar

Vivendo com Transtorno Bipolar

 Dicas de autoajuda para gerenciar seus sintomas e permanecer equilibrado

O Transtorno Bipolar é caracterizado pela combinação de episódios de depressão, euforia (mania e hipomania) e períodos de humor que se alteram de formas repentinas. Não importa os altos e baixos que você sente, é importante lembrar que você não é impotente quando se trata de Transtorno Bipolar. Além do tratamento que você recebe do seu médico ou psicoterapeuta, há muitas coisas que você pode fazer para reduzir seus sintomas e permanecer no caminho certo, incluindo como lidar com o transtorno bipolar, cercar-se de pessoas com quem pode contar e levar uma vida saudável e equilibrada.

O que fazer para lidar com o Transtorno Bipolar?

Atualmente, o tratamento consiste com a ajuda da Psicologia e Psiquiatria. O Psicólogo ajudará o paciente a entender, lidar e controlar com as instabilidades emocionais. O Psiquiatra ajudará através de medicamentos que estabilizarão o humor do paciente.

Viver bem com transtorno bipolar requer certos ajustes e cuidados. Fazer escolhas saudáveis ajudará você a manter seus sintomas sob controle, minimizar os episódios de humor e assumir o controle de sua vida. Lidar com o transtorno bipolar começa com o tratamento adequado, incluindo medicação e psicoterapia. Mas há muito mais que você pode fazer para se ajudar no dia-a-dia. Essas dicas podem ajudá-lo a influenciar o curso de sua vida, permitindo que você tenha maior controle sobre seus sintomas, permaneça por mais tempo e recupere rapidamente de qualquer episódio de humor ou recaída.

4 Dicas para Conviver com o Transtorno Bipolar

 1ª Dica: Envolva-se no seu tratamento

É importante a conscientização do paciente em buscar um tratamento médico ou psicoterapêutico. Estude e reflita sobre os sintomas, para que possa reconhecê-los em si mesmo e pesquise todas as opções de tratamento disponíveis. Quanto mais informado você estiver, melhor preparado você estará para lidar com os sintomas e fazer as escolhas mais adequadas para lidar com o transtorno bipolar.

Colabore com seu médico ou terapeuta no processo de planejamento do tratamento. Não tenha medo de expressar suas opiniões ou perguntas. As relações mais benéficas entre paciente e profissional de saúde funcionam como uma parceria.

Seja paciente. Não espere uma cura imediata e total. Tenha paciência com o processo de tratamento. Pode levar tempo para encontrar para obter resultados médicos ou psicoterápicos que funcionem para você.

Mantenha uma boa comunicação com o Profissional do seu tratamento. Fale com o seu profissional se a sua condição ou necessidades mudar e seja honesto sobre os seus sintomas e quaisquer efeitos colaterais dos medicamentos. Peça uma reavaliação com seu médico, junto com seu psicoterapeuta.

Tomando sua medicação conforme instruído. Se você estiver tomando medicação, siga todas as instruções e tome-a fielmente. Não pule ou mude sua dose sem primeiro falar com seu médico.

Procurando um Psicólogo. Embora a medicação possa ser capaz de controlar alguns  dos sintomas do transtorno bipolar, a terapia ensina habilidades que você pode usar em todas as áreas da sua vida. A terapia pode ajudá-lo a aprender como lidar com seu transtorno, lidar com problemas, regular seu humor, mudar a maneira como você pensa e melhorar seus relacionamentos.

2ª Dica: monitore seus sintomas e humor

Para  ficar  bem,  é  importante  estar  em  sintonia  com  a  maneira  como  você  se  sente. Portanto fique atento as mudanças sutis em seu humor, padrões de sono, nível de energia e pensamentos. Se você perceber qualquer alteração ou instabilidade emocional e tomar as medidas necessárias, poderá evitar que uma pequena mudança de humor se transforme em um episódio de mania ou depressão.

Conheça alguns sinais de alerta que poderão ajudar a identificar as alterações de humor

É importante reconhecer os sinais de alerta de um episódio maníaco ou depressivo que se aproxima. Faça uma lista dos primeiros sintomas que precederam seus episódios de humor anteriores. Também tente identificar os fatores ou influências externas, que levaram à mania ou depressão no passado. Os sintomas comuns incluem:

·          Estresse ou Ansiedade

  • Dificuldades financeiras e Desemprego

  • Problemas na vida afetiva ou pessoal

  • Abuso Sexual e Físico

  • Uso de Álcool ou Drogas

  • Pensamentos Suicidas

  • Problemas na escola ou no trabalho

  • Mudanças climáticas

  • Insônia

  • Luto

 

 Crie Ferramentas que Contribuam para o Bem-Estar

Se você identificar algum sinal de alerta de mania ou depressão, é importante agir rapidamente. Nesses momentos, é útil ter uma caixa de ferramentas de bem-estar para

usar. Uma caixa de ferramentas de bem-estar consiste em habilidades e atividades de enfrentamento que você pode fazer para manter um clima estável ou melhorar quando estiver sentindo uma recaída. As técnicas de enfrentamento que funcionam melhor serão exclusivas de sua situação, sintomas e preferências. É preciso experimentação e tempo para encontrar uma estratégia vencedora.

No entanto, muitas pessoas com transtorno bipolar descobriram que as seguintes ferramentas são úteis para reduzir os sintomas e manter o bem-estar:

  • Busque um especialista (médico ou psicoterapeuta);
  • Não despreze suas horas de sono;
  • Reduza suas atividades, procurando momentos de bem-estar, alegria e paz;
  • Faça algo divertido ou criativo ou escreva em seu diário (compre um diário ou agenda). As anotações poderão ser fundamentais para evitar desencadear os episódios de crise;
  • Procure estar mais ao ar livre, em contato com a Isso contribuirá para sua autoconfiança e para o controle do estresse e depressão;
  • Pratique exercícios leves, algumas vezes por semana;
  • Conte com apoio de amigos e da família;
  • Mantenha-se próximo de pessoas positivas, que querem seu bem;
  • Mantenha uma alimentação saudável e de qualidade;
  • Respeite seus limites. Saber a hora certa de dizer ‘não’ é essencial para conseguir-se manter equilibrado;

Crie um plano de ação de emergência

Apesar de seus melhores esforços, pode haver momentos em que você tenha uma recaída em uma mania completa ou depressão grave. Esses momentos podem fazer com que você se sinta desamparado e fora de controle, mas ter um plano de crise permite que você mantenha algum grau de controle pelo seu próprio tratamento.

Um plano de ação geralmente inclui:

  1. Uma lista de contatos de emergência – seu médico, terapeuta e familiares próximos;
  2. Uma lista de todos os medicamentos que você está tomando, incluindo informações de dosagem.

É importante identificar se houve alguma situação de estresse que possa contribuir para uma crise, pois em alguns momentos, o paciente poderá ter uma sensação de falsa-cura, achando que não precisa mais de tratamento.

3ª Dica: Mantenha-se Próximo e Aberto

Não se isole! – O apoio ao transtorno bipolar começa perto de casa. É importante ter pessoas com quem você pode contar para ajudá-lo nos momentos difíceis. O isolamento e a solidão podem causar depressão, portanto o contato regular com amigos e familiares solidários é terapêutico por si só. Alcançar os outros não é um sinal de fraqueza e não fará de você  um  fardo. Seus entes queridos se importam com você e querem ajudar. Para gerenciar o transtorno bipolar, é essencial que você tenha pessoas com as quais possa contar para ajudá-lo em momentos difíceis.

Construir novos relacionamentos – Isolamento e solidão tornam o transtorno bipolar pior. Se você não tiver uma rede de suporte com a qual possa contar, tome medidas para desenvolver novos relacionamentos inter-pessoais e amizades.

4ª Dica: Mantenha o estresse ao mínimo

O estresse pode desencadear episódios de mania e depressão em pessoas com transtorno bipolar, portanto, mantê-lo sob controle é extremamente importante. Conheça os seus limites, tanto em casa como no trabalho ou na escola. Não leve mais do que você pode lidar e ter tempo para si mesmo se você está se sentindo sobrecarregado.

Aprenda a relaxar. Técnicas de relaxamento, como respiração profunda, meditação,  ioga e imagens guiadas, podem ser muito eficazes para reduzir o estresse e mantê-lo  equilibrado. Uma prática de relaxamento diária pode melhorar seu humor e manter a depressão sob controle

Conclusão:

Apesar do tratamento profissional ser essencial, é importante que você tenha consciência que boa parte do bem-estar pode vir de nós mesmos?

Nossa felicidade é um somatório de tudo de bom que fazemos por nós mesmos. Por isso, é importante fazer uma faxina mental no nosso interior e retirar todos os sentimentos ruins existentes.

Os benefícios são inúmeros: Melhoram sua autoestima, sua produtividade, sua convivência consigo mesmo e com outros, a saúde corporal e maior equilíbrio emocional e mental, dentre outros.

Precisamos desse comprometimento e dessa iniciativa para buscar um tratamento mais eficaz para o Transtorno Bipolar, tendo como resultado, uma melhor qualidade de vida.

“O pensamento positivo pode vir, naturalmente, para alguns, mas pode ser também aprendido e cultivado. Mude seus pensamentos e você mudará seu mundo.” Norman Vincent Peale

 Sobre a autora:

 Meu nome é Ana Paula de Moraes, sou formada em Psicologia e Pós-graduada em Psicologia Médica e Psicossomática, com formação em Psicoterapia Breve, Hipnoterapia e Coach.

 Ana Paula de Moraes
Psicóloga
CRP-RJ: 05/22254
Whatsapp: (21) 98826-9859 // (21) 4111-7052

Fale agora com um Psicólogo Online

Compartilhar:


Compartilhar: